sexta-feira, 30 de novembro de 2007

Sofazão: Fernando Serboncini

O sofazão dessa sexta está fino!

Como vocês já sabem, essa semana eu tive o prazer de conhecer o Google em BH. Depois de assistir à palestra do Idelber Avelar, conheci o Fernando Serboncini que foi ultra simpático e teve a paciência de mostrar os 5 andares de escritório pra gente. Além disso me indicou uma banda super legal chamada Lestics. Daí tive a idéia de convidá-lo para participar do dia de convidados aqui do Síncope.

Ele logo já disse que ia ser difícil escolher apenas uma música, ou banda para indicar, e de fato acabou indicando 7. Ele me mandou um post lindo, cheio de dicas e ainda por cima com uma jukebox para que vocês possam ouvir as dicas aqui mesmo! Isso que dá chamar esse pessoal tecnológico pra sentar no sofazão. :)

Leiam e escutem as dicas do Fernando abaixo:

Rock, Folk e Tango




A Bel pediu pra eu falar da música que tenho mais ouvido. Não
consegui. Resolvi falar de algumas. Pra compensar, deixei aqui do lado
esquerdo uma Jukebox com algumas músicas dos CDs que escolhi.
Espero que vocês gostem. Vamos lá.


A velha coisa nova é Tom Zé. O Brasil tem alguns bons músico
e poucos gênios. Esse homem é um dos do segundo grupo. Infelizmente,
só vai ser famoso por aqui se morrer e a Globo decidir fazer um
especial sobre ele. Mas paciência. O disco que eu separei é Tom
, de 1970. O CD é simples sem ser bobo. E não se engane pela
capa com violãozinho bossa-nova. Esse disco é rock&roll. A faixa
que escolhi é Jimmy, renda-se, com seu riffzinho bacana e uma
letra que repete uma cacofônia bilingue, falando português querendo
parecer inglês e lembrando músicos americanos importantes (como o
próprio nome da música).



Agora damos um pulo para 2006 e temos Regina Spektor,
nascida na Rússia mas cantora e compositora do East Village em NY. O
CD é Begin to hope e gruda na cabeça que nem chiclete na sola
do pé. As músicas que vivem no meu repeat são Fidelity (feita
enquanto a autora via High Fidelity): "I never loved nobody
fully, always one foot on the ground. And by protecting my heart
truly, I got lost in the sounds I hear in my mind."
. É bonito de
verdade. A segunda música do "repeat infinito" é Hotel song:
"I have dreams of orca whales and owls but I wake up in fear. You
will never be my dear dear friend"
. É música pra se ouvir gritando
a letra junto. É popzinho e diverte.


Aproveitando a onda americana, temos mais dois songwriters do
estilo voz e violão. Primeiro Eric Hutchinson, com o disco
That could've gone better. A faixa é Rock'n'roll. Depois
a californiana Megan Slankard, com o cd Freaky little
story
e a faixa Too Bad You, ao vivo no Jammin' Java:
"We've become that couple down the street, can you blame us?".
Os dois muito bacanas. Ótimo para dias de chuva.

A última parada é a França de 1994 com Francis Cabrel e e
seu disco Samedi soir sur la terre. A música é L'arbre va
tomber
: "Y avait pourtant tellement de gens qui s'y abritaient,
et tellement qui s'y abritent encore. Toujours sur nous penché quand
les averses tombaient une vie d'arbre à coucher dehors"
. Cabrel
soa como uma espécie de filho do Bob Dylan com o Djavan. :)


Para terminar, outros franceses, agora do Gotan Project com
o disco La revancha del tango de 2001. A música é
Tríptico.



Espero que tenham gostado. Até.