sexta-feira, 24 de agosto de 2007

Convidado de sexta: Sérgio Rosa

Mais uma sexta-feira e mais um convidado senta no sofazão. Não sei se é a água de Itabira, mas assim como seu famoso conterrâneo, Sérgio Rosa tem gosto pelas palavras. Tanto que quando eu o chamei para participar, fiz o pedido clássico: dizer qual é a música ou artista que não sai do repeat. Não imaginava que eu receberia uma verdadeiro tratado sobre música oriental contemporânea.

Sérgio é jornalista, trabalha no Palácio das artes em Belo Horizonte, participa do site colaborativo Overmundo, entende muito de música e escreve o blog Contrabandas. Leia abaixo suas dicas preciosas:

"Especiarias do oriente

É incrível notar que mesmo vivendo em uma nova fase da grandes navegações informacionais, muita coisa do "mundo japão" passa ao largo do nosso conhecimento. O universo dos desenhos animados japoneses (aka animes) é um exemplo claro. Apesar do crescimento recente do interesse da nossa mídia por eles, ainda não somos capazes de entender nem de longe a complexidade e amplitude cultural que eles possuem por aqueles lados de lá. Pois bem, bit torrent e soulseek a postos, ordenar velas rumo ao leste, ajustar coordenadas em direção às melhores recentes trilhas sonoras de desenhos japoneses (aka animes).

A primeira parada é na ilha do dj Nujabes, um dos responsáveis pela trilha sonora do anime estiloso Samurai Champloo. Se o nome Shinichiro Watanabe te diz alguma coisa, não preciso falar muito mais. Samurais, Okinawa e hip hop. Coordenadas de latitude e longitude.

Os ventos agora levam o seu search até o porto do anime que inunda torrents no mundo inteiro. Naruto é um fenômeno. É o nome mais conhecido pelos sete mares e a sua trilha sonora é igualmente capaz de revelar nomes interessantes da cena pop japonesa. IMHO, as duas melhores aberturas foram feitas pelo Asian Kung Fu Genaration com seu hardcore nipônico e pelo bizarro Nobody Knows. Tem umas coisas que com as minhas limitadas referências ocidentais eu não sei se levo a sério ou não...

Por falar em "hip hop" japonês para desenhos animados, é imperdível também a música Super Shooter, da abertura de Gantz, com os rappers japoneses do Rip Slyme. Talvez assim como a adaptação chicana para o gênero, os japas estejam criando um estilo único. Torna-se cada vez mais difícil determinar a posição dos astros quando as coisas se misturam dessa maneira.

As âncoras repousam em um dos meus desenhos favoritos: o clássico Lupin III. (Coincidentemente está passando um filme no Telecine – Arsène Lupin, com a Eva Green – que conta a história do personagem na qual a versão japonesa é baseada). Foram lançados há um tempo atrás vários remixes para comemorar os 30 anos de aniversário da série televisiva japonesa. Dentre eles, vale conferir o do sempre divertido Pizzicato Five."