quinta-feira, 27 de dezembro de 2007

Aviso



Esse blog voltará à vida na segunda semana de janeiro de 2008.

quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

Boa notícia: disco novo do Adam Green a caminho

Adam Green

Saiu no site oficial dele. Achei uma ótima notícia, já que eu adoro o Adam Green e há muito tempo ele não lançava nada.

O quinto disco do artista vai se chamar "Sixes & Sevens", será lançado pela Rough Trade Records na Europa no dia 7 de março e no dia 10 no Reino Unido (o Reino Unido não faz parte da Europa?). Finalmente no dia 18 ele será lançado nos EUA. Será que a gente consegue ouvir antes disso?

Se você ainda não conhece, escute "Novotel" do disco Jacket Full of Danger


powered by ODEO

Site oficial do Adam Green
My Space do Adam Green

terça-feira, 4 de dezembro de 2007

Reactable

Desde o show da Bjork eu fiquei cismada com o instrumento eletrônico usado na apresentação. Para quem não foi ao show ou não sabe do que eu estou falando, dá uma olhadinha na foto que eu tirei. Essa tela azul mostra o cara tocando o tal instrumento.

Tim Festival 2007 - Bjork

Então, eis que um dia desses, a Lu Cattony, que trabalha comigo e escreve o ótimo blog Planta Baixa sobre arquitetura da informação, me mostrou um vídeo que explicava como funciona o instrumento que se chama Reactable. Fiquei encantada.

O Reactable é um instrumento eletrônico colaborativo. Ele parece uma mesa, mas seu tampo é uma tela luminosa sensível ao toque. Ao colocar objetos físicos (representam componentes de um sintetizador modular clássico) sobre a mesa e rotacioná-los os usuários conseguem criar sons complexos e dinâmicos.

O instrumento foi criado na Universitat Pompeu Fabra, e pretende ser tão intuitivo que não precisará de instruções. Ainda não está a venda e apenas algumas poucas pessoas muito influentes como a Bjork têm acesso a ele.

Vídeo explicativo parte01

Vídeo explicativo parte 02

Site oficial do Reactable

sexta-feira, 30 de novembro de 2007

Sofazão: Fernando Serboncini

O sofazão dessa sexta está fino!

Como vocês já sabem, essa semana eu tive o prazer de conhecer o Google em BH. Depois de assistir à palestra do Idelber Avelar, conheci o Fernando Serboncini que foi ultra simpático e teve a paciência de mostrar os 5 andares de escritório pra gente. Além disso me indicou uma banda super legal chamada Lestics. Daí tive a idéia de convidá-lo para participar do dia de convidados aqui do Síncope.

Ele logo já disse que ia ser difícil escolher apenas uma música, ou banda para indicar, e de fato acabou indicando 7. Ele me mandou um post lindo, cheio de dicas e ainda por cima com uma jukebox para que vocês possam ouvir as dicas aqui mesmo! Isso que dá chamar esse pessoal tecnológico pra sentar no sofazão. :)

Leiam e escutem as dicas do Fernando abaixo:

Rock, Folk e Tango




A Bel pediu pra eu falar da música que tenho mais ouvido. Não
consegui. Resolvi falar de algumas. Pra compensar, deixei aqui do lado
esquerdo uma Jukebox com algumas músicas dos CDs que escolhi.
Espero que vocês gostem. Vamos lá.


A velha coisa nova é Tom Zé. O Brasil tem alguns bons músico
e poucos gênios. Esse homem é um dos do segundo grupo. Infelizmente,
só vai ser famoso por aqui se morrer e a Globo decidir fazer um
especial sobre ele. Mas paciência. O disco que eu separei é Tom
, de 1970. O CD é simples sem ser bobo. E não se engane pela
capa com violãozinho bossa-nova. Esse disco é rock&roll. A faixa
que escolhi é Jimmy, renda-se, com seu riffzinho bacana e uma
letra que repete uma cacofônia bilingue, falando português querendo
parecer inglês e lembrando músicos americanos importantes (como o
próprio nome da música).



Agora damos um pulo para 2006 e temos Regina Spektor,
nascida na Rússia mas cantora e compositora do East Village em NY. O
CD é Begin to hope e gruda na cabeça que nem chiclete na sola
do pé. As músicas que vivem no meu repeat são Fidelity (feita
enquanto a autora via High Fidelity): "I never loved nobody
fully, always one foot on the ground. And by protecting my heart
truly, I got lost in the sounds I hear in my mind."
. É bonito de
verdade. A segunda música do "repeat infinito" é Hotel song:
"I have dreams of orca whales and owls but I wake up in fear. You
will never be my dear dear friend"
. É música pra se ouvir gritando
a letra junto. É popzinho e diverte.


Aproveitando a onda americana, temos mais dois songwriters do
estilo voz e violão. Primeiro Eric Hutchinson, com o disco
That could've gone better. A faixa é Rock'n'roll. Depois
a californiana Megan Slankard, com o cd Freaky little
story
e a faixa Too Bad You, ao vivo no Jammin' Java:
"We've become that couple down the street, can you blame us?".
Os dois muito bacanas. Ótimo para dias de chuva.

A última parada é a França de 1994 com Francis Cabrel e e
seu disco Samedi soir sur la terre. A música é L'arbre va
tomber
: "Y avait pourtant tellement de gens qui s'y abritaient,
et tellement qui s'y abritent encore. Toujours sur nous penché quand
les averses tombaient une vie d'arbre à coucher dehors"
. Cabrel
soa como uma espécie de filho do Bob Dylan com o Djavan. :)


Para terminar, outros franceses, agora do Gotan Project com
o disco La revancha del tango de 2001. A música é
Tríptico.



Espero que tenham gostado. Até.





quinta-feira, 29 de novembro de 2007

Patrick Wolf faz cover de Joni Mitchell

Hoje de manhã eu estava ouvindo Joni Mitchell e repeti a música "River" algumas vezes, clima de natal chegando e tudo mais.

Agora eu estava dando uma olhada nos meus feeds e me aparece essa versão do Patrick Wolf para essa bela música.

Assiste aí. (Não encontrei a versão da Joni no Youtube, mas você pode escuta-la no Hype Machine: Joni Mitchell - River)



Mais uma versão do P. Wolf. Essa está mais completa.

terça-feira, 27 de novembro de 2007

Palestra no Google

Ontem o Idelber Avelar foi dar uma palestra sobre música brasileira para os Googlers de BH. Ele convidou a Luiza para ir lá prestigiar, que me chamou para ir junto, já que o assunto era do meu interesse.

O Idelber falou sobre o livro que ele está escrevendo, deu um panorama sobre a música brasileira desde os anos 70 e explicou que o conceito de MPB está ligado a identidade social e não ao formato musical propriamente. Achei essa visão muito legal.

A palestra foi toda em inglês, o que para o Idelber não é nada, já que ele é professor na Tulane University. (procurei no youTube mas parece que o vídeo ainda não está disponível)

Depois disso, o Fernando Serboncini, que é engenheiro no Google BH, fez um tour com a gente pelos 5 andares da empresa. Ganhamos um monte de brindes legais e vimos que tudo que se fala sobre os escritórios do Google (lanchonetes incríveis, sala de jogos, cadeira de massagem) é verdade.

sexta-feira, 23 de novembro de 2007

Sofazão: Mariana Gogu

Depois de falhar por algumas semanas, o sofazão do blog Síncope está de volta. Na volta, em grande estilo, recebo a minha colega de trabalho, Mariana Gogu. A Mariana começou a trabalhar aqui na Mapa Digital há pouco mais de um mês, mas já vi que temos muito em comum. O blog que ela escreve é o Tá Postado. Ele é cheio de coisas interessantes, atualizado com bastante freqüência e já é um dos meus favoritos. Leia a dica da Mariana sobre o que é que ela escuta sem parar:

Stereo Total


"A banda que mais tenho escutado ultimamente é Stereo Total, que na verdade é uma dupla, formada pela francesa Françoise Cactus e o alemão Brezel Göring.

O som é uma mistura de música eletrônica e rock e as músicas são dançantes e muito divertidas. As letras são despretensiosas, bem-humoradas e escritas em várias línguas, como inglês, alemão e francês (o que me fez aprender meia dúzias de palavras novas).

Não sou especialista no assunto, aliás, estou muito longe de ser. Só escuto músicas de bandas pelas quais me apaixono logo de cara. Escuto 3 ou 4, se gostar continuo ouvindo, se não gostar, não insisto. Com o Stereo Total foi assim, amor a primeira vista, ou melhor, amor ao primeiro som.

Gosto particularmente de “Comme un Garçon’’e “Je Suis une Poupeé”, ‘’Holliday Innn’’, “Holliday out” e “Heaven’s in the Back Seat of my Cadillac’’ – Todas têm letras ótimas e as últimas 3 são excelentes para escutar ao volante."


My Space do Stereo Total
Site oficial do Stereo Total

quarta-feira, 21 de novembro de 2007

Battles em BH - Eleronika 2007

Finalmente coloco aqui algumas fotos do show do Battles na última sexta-feira, na Roxy em BH. O show foi incrível! Pena que o batera perfeccionista deu uma surtada por causa de uma caixa quebrada e a banda acabou tocando 2 músicas a menos do que gostaria.


Veja mais fotos que eu tirei no flickr.

Battles - Belo Horizonte - Eletronika

Battles - Belo Horizonte - Eletronika

terça-feira, 20 de novembro de 2007

Manual do Ouvinte

Yey! Minha coluna Manual do Ouvinte foi atualizada no Pílula Pop. Vai lá e leia as minhas dicas.

quinta-feira, 15 de novembro de 2007

Festival Eletronika - Debates e show do LCD Soundsystem

Ontem foi o primeiro dia de Eletronika aqui em Belo Horizonte. Comecei a noite indo ao ciclo de debates do festival que nessa primeira noite contou com a presença de jornalistas/blogueiros especialistas em música. O tema era
Divulgação e Cobertura em Tempos de Internet e tinha a participação de Thiago Ney (jornalista Folha de S. Paulo e blog Ilustrada no Pop), Lúcio Ribeiro (jornalista, blog Popload), Kid Vinil (DJ, músico e radialista), Paulo Terron (jornalista, blog With Lasers) e Daniel Barbosa (jornalista, O Tempo), com mediação do Alexandre Matias.

Fora as chaturas que rolam em todo evento como esse, e que geralmente têm a ver com a participação do público, o debate foi bem legal. O Kid Vinil, o Lúcio Ribeiro, o Paulo Terron e o Alexandre Matias foram os que mais participaram e tiveram muita paciência com as perguntas e comentários do pessoal. O Thiago Ney falou pouco, mas falou bem sobre a diferença de formato e linguagem entre a mídia impressa e a digital. Daniel Barbosa praticamente não participou, mas o Carlos Eduardo Miranda que estava na platéia acabou falando bastante e ocupando o lugar deixado pelo Daniel.

Mais tarde fui pro show do Chevrolet Hall. Como eu só estava mesmo interessada no LCD Soundsystem que estava marcado para as 2 da manhã, cheguei lá um pouco antes de começar. Acho que não atrasou e o Chevrolet Hall não lotou, mas também não ficou vazio. Deu para ver tudo de perto e com conforto. O show foi bem animado, o James Murphy arrasa no vocal e o baterista tocou de shortinho amarelo (espero que a desculpa seja a falta de costume com o calor do Brasil). Abaixo, algumas fotos que eu tirei. Veja mais lá no flickr.

LCD Soundsystem - Belo Horizonte - Festival Eletronika

LCD Soundsystem - Belo Horizonte - Festival Eletronika

Para quem se interessou pelos debates do Eletronika ainda pode participar hoje e amanhã. Veja a ótima programação:

Dia 15/11, qui - “Estamos Fazendo”
Núcleos de Produção Independente


- André Barcinski (jornalista, Circuito Techno e Clash Club)
- Fabrício Nobre (músico, produtor, Monstro Discos)
- Bruno Maia (produtor Chappa Quente)
- Ana Garcia (produtora festival Coquetel Molotov)
- Cláudio Pilha (produtor Campeonato Mineiro de Surf, A Obra)

Dia 16/11, sex - "Entre o YouTube e a MTV"
A Importância do Vídeo como Veículo


- Carlos Eduardo Miranda (jornalista, produtor)
- Renata Simões (jornalista, apresentadora do Multishow)
- Dagoberto Donato (editor do site TramaVirtual)
- Israel do Vale (jornalista, produtor)
- Kiko Ferreira (jornalista, Estado de Minas/Rádio Inconfidência)

Local: Oi Futuro - Multiespaço/Oi Futuro
Endereço: Av. Afonso Pena, 4001 - Térreo – Belo Horizonte/MG
Fone: (31) 3229-3131
Horários: dia 14 – 19hs; dia 15 – 16hs; dia 16 – 19hs
Entrada: Gratuita

quarta-feira, 7 de novembro de 2007

Sub Pop, Cansei de Ser Sexy e iPod Touch

Li em algum lugar a notícia de que o selo Sub Pop abriu uma loja virtual em seu site para vender músicas dos seus artistas. Fui lá dar uma olhada e aproveitei para ler as notícias na home do site. Uma delas dizia que a nova propaganda da Apple pro iPod Touch tem como trilha sonora a música "Music is my hot, hot sex" do Cansei de Ser Sexy, que tem contrato com a Sub Pop.

Achei essa notícia bem legal! Fico sempre impressionada com o sucesso que eles estão fazendo pelo mundo. Essa não é a primeira vez que falo aqui dos feitos incríveis alcançados pela banda brasileira, mas dessa vez realmente eu fiquei impressionada (e com uma pontinha de inveja).

Continuei lendo a notícia e o mais legal é a história por trás da propaganda. Na verdade ela foi feita por um fã inglês de CSS. O jovem achou que seria legal colocar a frase "Music is where I want you to touch" em uma propaganda do iPod Touch. Ele fez um vídeo amador, colocou no youTube e depois disso dá pra imaginar que a Apple entrou em contato com ele para fazer da idéia um vídeo oficial do produto. Ah nem... morri esmagada pela minha insignificância agora.

pop-cansei-lovefoxx-3
Love Foxxx na Pop Magazine

Ah, só mais um detalhe: a Love Foxx saiu na lista da NME de pessoas mais cool do mundo pela segunda vez. Esse ano ela ficou na 3 posição. Very Cool!

terça-feira, 6 de novembro de 2007

Eletronika 2007 - Belo Horizonte

Logo Eletronika 2007

Para quem ainda não está sabendo, nos dias 14 a 16 de novembro vai rolar mais uma edição do Eletronika - Festival de Novas Tendências Musicais aqui em BH. Não deixem de ir porque a programação está bem legal, com as grandes atrações internacionais como LCD Soundsystem, Battles e The Field.

PROGRAMAÇÃO

Dia 14/11/07 - Chevrolet Hall


22:00 - 23:30 - Kowalsky (BH)
23:30 - 00:30 - Turbo Trio x Mixhell X Chernobyl (SP-POA)
00:30 - 02:00 - Shir Khan (Berlim)
02:00 - 03:30 - LCD Soundsystem (NYC)
05:30 - 07:00 - Bo$$ in Drama (CWB)

Dia 16/11/07 - Roxy Club

Pista 1
23:00 - Dago (SP)
00:30 - Battles (NYC)
01:30 - The Field (Estocolmo)
02:30 - Mau Mau (SP)
04:30 - Fred Mafra (BH)

Pista 2
00:00 - 01:30 - Killer Shoes (BH)
01:30 - 03:00 – Gente Bonita (SP)
03:00 - 05:00 - Miranda (SP)

Olha, até hoje eu não fui na Roxy, então não sei bem como é o espaço lá, mas estou achando muito estranha essa tendência de colocar dois palcos em lugares fechados e pequenos. O festival da Obra/Alto Falante no Lapa foi a prova de que isso não é uma boa idéia. Mas quem sabe dessa vez funciona...

James Murphy - LCD Soundsystem
James Murphy - LCD Soundsystem

quarta-feira, 31 de outubro de 2007

Tim Festival 2007 - Show a show

Além de ter sido o mais caro e mais desorganizado Tim Festival da história, o evento desse ano pecou no ponto que diferencia um bom festival da picaretagem: a qualidade do som. Quase todos os shows que assisti começaram com algum problema grave, que foi ajustado durante a apresentação.

Bom, parei de reclamar, agora vou contar toda a minha saga.

Cheguei ao Marina da Glória 5 minutos antes do primeiro show que eu ia assistir: Anthony and the Johnsons abrindo para a Bjork. O show foi muito bonito, rápido e quente. O ar condicionado geladinho de outrora, dessa vez não deu onda nem antes do primeiro show começar. O som estava baixo, e acho que teria sido mais apropriado que fosse feito para um público menor e com platéia sentada. Não consegui tirar boas fotos, pois a iluminação do palco fraquinha e eu não tenho a manha de tirar foto no escuro.

Intervalo. Logo o show da Bjork começou. Esse provavelmente foi o melhor show dos que eu fui esse ano. Devo dizer que inclusive foi surpreendente. Eu já estava criando uma preguiça da Bjork, mas o show foi tão sensacional, colorido, animado, com um set list de primeira, que eu voltei a gostar dela. Bjork tocou uma das minhas preferidas, Hyper Ballad, e durante essa música o show tomou outro rumo, mais eletrônico e pesado. A voz dela é impecável.

Tim Festival 2007 - Bjork

Tim Festival 2007 - Bjork

Depois de ver a verdadeira diva no palco Tim Volta, fui pro palco erroneamente denominado Divas. Aliás, esse palco foi puro desastre, começando pelo cancelamento do show da Feist em cima da hora. Resolveram substituir com o Anthony and the Johnsons. O próprio Anthony brincou dizendo: “As you can see, I am not Feist. She is much skinnier than me. That bitch!”. Bem humorado, Anthony repetiu o show de mais cedo, com algumas modificações no set list. Nesse eu consegui tirar algumas fotos.

Tim Festival 2007 - Antony and The Johnsons

Durante o show recebi informações dos meus insiders de que o show do Arctic Monkeys estava prestes a começar no outro palco. Fui correndo e entrei rapidinho, já que a fila monstruosa que se formava desde cedo já tinha acabado.

O show começou com a voz do Alex Turner cheia de eco. Um horror. Depois consertaram. Aí o show ficou bom mesmo! Um hit emendando no outro. Tudo muito bem ensaiado, cheio de energia e apesar de não serem extravagantes na performance, esses meninos estavam fazendo um belo show.

Tim Festival 2007 - Arctic Monkeys

Inesperadamente, mais um informante me avisou que o show da Cat Power começava no palco Divas. Achei estranho, já que depois de Antony, ainda teria o show da Cibelle e só depois o da Chan, o que daria tempo de sobra para ver os Arctic Monkeys até o fim. Sai durante a ótima “Fluorescent Adolescent”, e perdi uma das minhas preferidas, “Choo, choo”.

Corri debaixo de chuva e cheguei depois que a Cat Power já tinha tocado umas 5 músicas. Muito linda, vestindo luvinhas Chanel e um gravata dispensável, a cantora fez um show animado, numa onda bem blues, tocou covers e fez dancinhas. Muito expressiva, ela demonstrou carinho pelo público. Infelizmente, mais uma vez, a qualidade do som deixou a desejar. A voz de Chan muitas vezes ficou escondida por outros instrumentos. Mesmo assim foi lindo. Só faltou ela pegar um sabonete e falar: "Sou uma Diva!"

Tim Festival 2007 - Cat Power

Saí e fui encontrar amigos perdidos para ir embora, e qual não é a minha surpresa quando uma voz anuncia que a Cibelle ainda ia tocar no palco Divas. Ah... francamente. Aí eu achei palhaçada. Não que eu estivesse a fim de ver o show dela, mas isso foi o atestado da desorganização.

De qualquer forma, a competência dos artistas superou a falta de competência dos organizadores, e o resultado foi bom. Voltei pra casa morta, faminta, mas feliz.

No outro dia fui para ver apenas o show do Killers, que na verdade eu acho bem farofento, mas tem perfil de banda boa ao vivo.

O trânsito caótico e um taxista duvidoso me fizeram chegar atrasada pro show da Juliette and the Licks, que abria para os Killers. Achei até bom ter chegado atrasada. Apesar de eu não saber apontar o que exatamente está errado, achei que não convence. Na verdade a banda é bem correta, segue direitinho a cartilha de como fazer uma banda de rock, mas exatamente por seguir cartilha, não é rock and roll de verdade. A melhor definição foi a da minha amiga Grá: parece banda de filme.

Tim Festival 2007 - Juliette and The Licks

Depois veio Killers com um show realmente animado, um público insandecido, e bem comandado pelo front man. Eu não conhecia muitas músicas, mas me diverti. No entanto saí do show me perguntando se eu não devia ter vendido o ingresso na porta. Ainda mais depois que eu soube que o preço de mercado informal havia atingido os R$225!

Tim Festival 2007 - The Killers

Quem quiser ver mais fotos que eu tirei, visite o flickr. Quem quiser usar fotos, favor DAR O CRÉDITO! E de preferência me avisar que usou.

segunda-feira, 29 de outubro de 2007

Tim Festival 2007 - a grande decepção

Eu sou fã do Tim Festival, vou a todos desde que tenho idade pra ir e normalmente tenho só elogios para fazer. Eu tenho experência para dizer que esse Tim Festival (no Rio) foi o mais desorganizado de todos os tempos. Os pontos mais baixos foram:

• Cancelamento de vários shows como Feist, Roberta Gambarini e todo o palco Novo Rock BR.
• Desorganização do palco Divas, que acabou deixando a brasileira Cibelle por último, depois de todas as atrações. A moça tocou para meia dúzia de pessoas e ainda ficou tomando choque no palco.
• Dois dias de festival, ao invés de 3, como era antigamente e aglomeração de grandes atrações no primeiro dia.
• Ar condicionado praticamente inexistente.

Quem quiser ver as fotos que eu tirei visite o meu flickr.
Aguardem, que logo mais eu faço um post contando tudo com detalhes.

quinta-feira, 25 de outubro de 2007

Feist cancela shows no Brasil


Bad, bad news... A Feist acabou de cancelar seus shows no Tim Festival. Com ingressos esgotados ela era uma das atrações mais esperadas por muita gente. Tenho certeza que vários fãs vão ficar decepcionadíssimos com a notícia. Ela justificou a falta dizendo que está com labirintite. Sei não... será que é medinho do caos no Rio?

Feist foi a segunda atração do Tim 2007 cancelada por motivos de doença. A cantora italiana Roberta Gambarini que participaria do palco Jazz Europeu foi substituída pela sueca Lisa Ekdahl. Ela teve problemas nas cordas vocais.

O Rebouças e o Tim

Uma mistura de alegria e pânico invade meu ser. Não sei exatamente como andam as coisas no Rio de Janeiro depois da chuva, dos deslizamentos de terra, do fechamento do Rebouças, do Caveirão pirata e tudo mais. O fato é que a minha passagem está comprada, meus ingressos pro Tim Festival também e eu estou indo pra lá hoje a noite.

A cada ano um grande acontecimento marca a minha ida ao Rio para ver os shows do Tim. Já teve conversa com a Narcisa pela telefone(com direito a convite para um champanhe no Copa), encontro casual com Chico Buarque na padaria, um quase-salto do táxi em alta velocidade, entre muitas outras aventuras. O tal fechamento do túnel já me avisa que esse ano me reserva muitas surpresas.

Pretendo ir a vários shows, tirar várias fotos e contar tudo aqui no blog na segunda-feira, isso se eu conseguir voltar pra casa. É que eu resolvi me arriscar e comprar uma passagem de avião da Ocean Air para voltar para BH. O vôo está marcado para o domingo a tarde e sai do Santos Dumont, mas ontem, por causa da chuva, todos os vôos saindo ou chegando de lá foram cancelados. Tomara faça sol no domingo.

Abaixo um vídeo com um pouco do que nos espera amanhã. Será que ela vai estar com esse penteado?

terça-feira, 23 de outubro de 2007

Mudando, mais uma vez...

Já tenho esse blog há quase dois anos e ele mudou muito durante esse tempo. Há alguns meses resolvi criar uma certa rotina de posts com dias fixos para tipos diferentes de post. Eram as segundas de download, as terças de cover, as quartas de vídeo, as quintas de lista (que eu abandonei logo de cara) e as sextas de sofazão.

Experimentei e não gostei. Acho que o blog ficou monótono, eu acabei ficando muito presa aos temas e falando pouco de outras coisas interessantes que aconteciam no mundo da música. Além disso, os posts ficaram sem personalidade, muito iguais, muito automáticos.

Tá certo que postar mais frequentemente aumentou muito as visitas diárias. Mas para mim, qualidade é melhor que quantidade. Prefiro ter leitores assíduos (ou assinantes), que vêm aqui pelo conteúdo ao invés de um público que cai aqui de pára-quedas (e que nunca mais vai voltar) porque escrevi sobre o assunto mais buscado do dia.

Dos posts fixos, o único que vou manter é o sofazão, que se tornou um verdadeiro sucesso do mundo digital, com muitos fãs e recebendo elogios mil. Além disso, adoro receber visitas, saber o que o pessoal tem escutado, receber dicas de coisas diferentes do que eu costumo escutar. Adoro ver a empolgação de alguns convidados que não ficam satisfeitos em apenas dar a dica, mas que realmente se envolvem, pesquisam e dão um verdadeiro show de bom gosto no sofazão.

O blog Síncope volta a ser atualizado com menos freqüência, mas com mais qualidade. Espero que vocês gostem.

quarta-feira, 17 de outubro de 2007

Top 10 da semana

Há uma semana o Radiohead lançou o seu tão esperado 7º disco, disponibilizado para download no site oficial. Meio mundo baixou, ouviu e o resultado pode ser medido pelas charts do last.fm:

radiohead Chart

segunda-feira, 15 de outubro de 2007

Vendo: Ingresso do Tim Rio





Pessoal,

Alguém tem interesse em adquirir um ingresso para o palco Euro Jazz (20h, 27/10, sábado) do Tim Festival no Rio? O ingresso é de estudante, custa R$70,00 e dá acesso aos seguintes shows:

• Eldar
• Roberta Gambarini Quartet
• Sylvain Luc Quartet
• Stefano Di Battista Quartet

Quem quiser, entre em contato pelos comentários ou pelo e-mail isabelfurtado@gmail.com

Obrigada pela atenção.

quarta-feira, 10 de outubro de 2007

Justice: D.A.N.C.E. ao vivo

Acho que todo mundo já assistiu ao vídeo do Justice, da música D.A.N.C.E, aquele das camisetas. A banda se apresentou tocando a música no programa do Jimmy Kimmel, e apresentação ao vivo foi quase tão legal quanto o vídeo original, mas com certeza foi mais engraçada.

Vídeo: Neon Bible - The Arcade Fire

Como não podia deixar de ser, o vídeo da semana é o incrível vídeo interativo que o Arcade Fire fez para a música "Neon Bible".

neon bible

terça-feira, 9 de outubro de 2007

Cover: Youth Group com "Forever Young"

O cover dessa semana não é exatamente uma novidade, mas eu gosto muito. Ele foi lançado em 2005 na trilha sonora da série The O.C. pela banda australiana Youth Group. É a música "Forever Young" que foi originalmente lançada em 1984 pelo grupo alemão Alphaville. A outra música de sucesso deles foi "Big in Japan" que eu, sinceramente, nunca tinha escutado.

Escute a versão original de "Forever Young":



E a cópia:

sexta-feira, 5 de outubro de 2007

Sofazão: Daniel Poeira

Inspirada pelo Indie desse ano que começou ontem, chamei para o sofazão dessa semana um convidado que eu conheci no Indie do ano passado, o Daniel Poeira. Poeira foi meu companheiro na empreitada de escrever o blog oficial do Indie 2006. Além de ver e comentar os filmes, ele me apresentou o famoso yakisoba da padaria ao lado do Usina, que é sensacional. Mas se você acha que vai poder provar essa iguaria durante as filas desse ano, não se anime. Fui lá outro dia, quente no yakisoba, e ele já não existe mais.

O Daniel toca baixo na banda Esquadrão Atari, é professor na Escola de Belas Artes e como vocês podem ver, é rockeiro de nascença. Saiba o que é que ele mais escuta atualmente.

Desde que eu era criança, sempre gostei de rock. Mas só depois de velho é que eu comecei a entender por que. O que é que fazer certas bandas serem tão especiais enquanto outras, esteticamente parecidas, não têm a menor graça? Certamente não é o corte de cabelo, nem as roupas, nem a marca dos instrumentos.

Existe alguma coisa que transforma a música em rock, que eu não sei bem o que é, mas eu apelidei de "sacanagem". É uma certa malícia, uma mistura de senso de humor com uma visão de mundo levemente niilista e totalmente ateísta, com uma forte carga de sensualidade. Veja bem: sensualidade não é sexo. Mas não tem nada a ver com amor. É a diferença entre o James Brown e o CPM-22. É uma coisa sutil, mas que faz toda a diferença.

Outra coisa que eu gosto no rock é a falta de regras. Eu sempre odiei escola, exército, emprego, qualquer forma de repressão hierárquica onde alguém me falasse o que eu tinha que fazer. E não tem nada mais anti-rock´n´roll do que uma banda falando "tira o pé do chão", "vamos dançar", "rock nacional é melhor do que o americano" e outras sandices. Por outro lado, bandas que ficam falando "desculpem nossas falhas", "nos perdoem por não termos ensaiado" também estão no extremo oposto do que o rock pode (deve?) ser. Uma banda de rock realmente boa apenas sobe no palco e faz o que tem que fazer, cativando o público com sua postura e sua música, e não com ordens ou pedidos de desculpa. A sedução acontece muito mais com o movimento, o toque e o olhar do que com palavras.

Tá, mas aonde eu estou querendo chegar com tudo isso? Acontece que raros são os momentos na vida de um rockeiro em que ele se depara com um grupo de pessoas realmente rock´n´roll, que consegue juntar tudo isso que eu falei em uma banda de rock com músicas realmente boas. Qual seria então a probabilidade de um bando de malucos, vindos de várias bandas diferentes, se juntar em um estúdio no meio do deserto (literalmente), tomar um monte de drogas esquisitas, e fazer músicas experimentais, com um resultado ao mesmo tempo engraçado, sublime, poético, romântico, e heavy metal?

O nome disso é Desert Sessions.

A partir de 1998, Josh "Queens of the Stone Age" Homme começou a fazer jam sessions com seus amigos em um estúdio chamado Rancho de la Luna, no meio de um deserto na Califórnia. Ao longo dos anos, o projeto já lançou 10 EPs, num total de quase 60 faixas. Eles já se apresentaram ao vivo no festival de Coachella e no Jools Holland, mas seu foco principal são as jam sessions e os discos.

Os amigos de Homme que já passaram pelo projeto incluem integrantes de bandas como Queens of the Stone Age, Kyuss, Eagles of Death Metal, Screaming Trees, Mondo Generator, Peaches, Fu Manchu, Brant Bjork & The Bros, Soundgarden, The Dwarves, Hole, Mötley Crüe, Ween, The Vandals, Devo, A Perfect Circle, Nine Inch Nails, Marilyn Manson, Danzig, além da própria PJ Harvey em pessoa.

Quem quiser conferir o trabalho desse "alt rock all-stars" pode baixar esse torrent, que inclui não apenas os 10 discos do Desert Sessions, mas também as discografias completas do Queens of the Stone Age, dos Eagles of Death Metal e do Kyuss. Todas essas bandas são interligadas não apenas por terem integrantes em comum, mas por virem da mesma tradição rockeira.

Divrta-se. E, como diz o pastor na primeira faixa do Desert... "do not listen to anyone!!!"


Site oficial do Desert Sessions

quarta-feira, 3 de outubro de 2007

Vídeo: Fluorescent Adolescent

Fiquei pensando em que vídeo postar aqui hoje e como falta menos de 1 mês para o Tim Festival 2007 resolvi colocar o de alguma das atrações do evento. Essa música é provavelmente a melhor do segundo disco dos Arctic Monkeys e o clockwork-orange-like-video é bem bacana.



Todo mundo tem que aprender a letra pra cantar junto no show e não vale roubar e dar aquela enrolada na parte rapidinha.

terça-feira, 2 de outubro de 2007

Cover de terça: Giant Drag faz Madonna


Na semana passada eu já postei um cover de Madonna, mas esse ficou muito bom, então vou postar mais um da diva. Esse foi feito pelo Giant Drag que é uma banda de uma moça só: Annie Hardy. Na verdade o músico Micah Calabrese participa como instrumentista, mas a própria Annie se considera a única integrante.

Essa música da Madonna que o Giant Drag gravou é a "Oh Father", originalmente está disco "Like a Prayer". É uma música inusitada para se fazer um cover, mas ficou bastante bom.


powered by ODEO

Veja o vídeo da versão original:


Links:
MySpace do Giant Drag
Site oficial do Giant Drag

segunda-feira, 1 de outubro de 2007

Lançamento: In Rainbows do Radiohead

Depois de passar algumas semanas fazendo charadas com os nomes das músicas em seu blog, o Radiohead anunciou que o novo disco da banda está pronto, será lançado online em 10 dias e se chamará "In Rainbows". A track list é a seguinte:

CD 1 e vinil
15 Step
Bodysnatchers
Nude
eird Fishes/Arpeggi
All I Need
Faust Arp
Reckoner
House of Cards
Jigsaw Falling into Plance
Videotape

CD 2 e vinil
MK 1
Down is the New Up
GO SLOWLY Go Slowly
MK 2
Last Flowers
Up on the Ladder
Bangers and Mash
4 Minute Warning


Para esse lançamento a banda escolheu adotar uma postura comercial um tanto quanto inovadora. O disco pode ser reservado pelo site oficial em dois formatos diferentes: Discbox ou Download.

O Discbox (veja foto abaixo) consiste em CD e dois vinis de 12 polegadas. O segundo CD contém mais novas músicas e fotos e arte em formato digital. Tudo isso mais encarte com letras são lindamente embalado em uma caixa-envelope de capa dura. Para os fanáticos, é um verdadeiro mimo de 40 libras esterlinas.

radioheadCapa

Já o formato Download permite, obviamente, que o ouvinte faça o download das músicas pela net. O disco será disponibilizado a partir do dia 10 de outubro e quem escolhe o preço é você! Isso mesmo! Quando eu cliquei no ítem download e fui dar uma checada no meu carrinho de compras, o campo do preço era editável. Resolvi clicar no ícone "?" e a resposta que o Radiohead me deu foi: "No really. It's up to you". Valeu Thom e cia.

siteInRainbows

O único problema é que ainda não consegui fazer o meu pedido. Conto a experiência para vocês depois.

Baixe o disco
Blog oficial do Radiohead

sexta-feira, 28 de setembro de 2007

Sofazão: Duda Borelli

Quando a Peaches veio se apresentar na Josefine em BH eu fui lá assistir e me diverti com a participação do público no final. A Peaches chamou algumas meninas para subir no palco para cantar e dançar com ela. Alguns anos depois descobri que uma dessas meninas era a minha convidada do Sofazão de hoje, a Duda Borelli. Essa performance no palco representa bem o perfil da Duda: descontraída, divertida e espontânea. Ela é assim e deixa transparecer sua ótima personalidade no seu blog Dudicas, sobre variedades. Deixo avisado que se alguém estiver a fim de montar uma banda com a Duda, ela está à disposição para cantar e fazer performances. A Peaches aprovou ;)

Leia abaixo o que é que a Duda não para de ouvir.

"Sou uma boa menina que curti um som mal comportado. Por isso sempre gosto do alternativo, do libertino e do engraçado. Pra mim, música, assim como tudo na vida, tem que ser divertida!! Os meus 15 minutos de fama mais felizes foram ao lado de Peaches: eu cantando Fuck the pain away e ela dançando a minha volta.
Também sou de fases. Quando gosto de alguma banda eu ouço, canto, danço, sonho e compro o estilo até esgotar. Se acho a coisa boa mesmo, ela sempre acaba voltando pra minha vida. É o caso de CSS. Baxei e ouço muito o CD que tem o mesmo nome da banda. Ouvi tanto Alala e Let´s make love and listen to death from above, que cansei – literalmente. Mas, ainda curto muito as outras faixas e morro de inveja desses brasileiros que rodam o mundo se divertindo horrores!!

Eu sei que deveria eleger uma banda só, mas eu estaria omitindo informação se não revelasse a minha atual e verdadeira obsessão: Juliette and The Licks, que tocaram ontem no VMB 07. Sério, estou apaixonada!! Se você sair hoje à noite e vir uma menina com faixa na cabeça e maquiagem de índia rock star, pode saber que sou eu!! Lutei contra o sono para assistir ao quarteto de L.A. fazer a abertura do programa anual de premiações e depois desliguei a televisão. Sei que vai ter gente dizendo que banda gringa abrindo programa brasileiro não é legal... mas é a MTV!! Ninguém além de Caetano Veloso diz EME TEVÊ, não é mesmo?! E já saiu no O Globo Online de hoje: “Juliette Lewis rouba a cena em VMB morno e previsível”. Ainda bem que eu desliguei.

Bom, então é isso. CSS e Juliette and The Licks são as minhas dicas apaixonadas pro Sofazão!!"

terça-feira, 25 de setembro de 2007

Cover de terça: Ryan Adams toca Madonna e Strokes


E para não deixar ninguém sem cover... O Ryan Adams que, além de ser metido a engraçadinho, é um cara que adora fazer covers nos seus shows. Essa é a gravação das músicas "Like a virgin" da Madonna e "Last Nite" dos Strokes que ele fez ao vivo.

Download de MP3: Ryan Adams ao vivo - "Like a virgin" e "Last nite"

Raridades, covers e lados-B

Ignorando completamente o boato da sextape da Meg White, trago para vocês nessa terça de covers, lados-b e raridades um dueto do Jack White com o Bob Dylan. O vídeo da apresentação dos dois tocando "One More Cup of Coffee" está bem tosco, mas o audio até que dá pro gasto.




***
Há pouco mais de uma semana, duas raridades que valem a pena escutar apareceram na rede. São as demos de "Boys and Girls" e "Parklife" do Blur. Muita gente já deve ter escutado porque já vi em milhares de lugares, mas como essas são 2 das melhores e mais famosas músicas de uma das melhores e mais famosas bandas dos anos 90, achei que a notícia, mesmo datada, merecia o post.

"Park Life" - Blur

powered by ODEO

"Boys and Girls" - Blur

powered by ODEO

segunda-feira, 24 de setembro de 2007

Download: M. Ward - Post War

m. ward

Eu ando passando pela fase mais folk da minha vida. Os artistas que eu mais escuto parecem trilha sonora de propaganda de café. Poderiam até ser a música da abertura do Globo Rural. De todos esses artistas, o meu preferido atualmente é o M. Ward, que escreve as músicas mais lindas, singelas, viciantes e ao mesmo tempo intrigantes. Com sua voz rouca e a sua guitarra delicada, o americano de Oregon lançou o disco Post-War em 2006, que é obrigatório para quem, assim como eu, curte um uma música de fazenda.

Download de MP3: M. Ward - Post War

Sites relacionados:
mySpace
Site oficial
Wikipedia

sexta-feira, 21 de setembro de 2007

Sofazão: Graziela Araújo

Também conhecida como Groselha, a minha convidada de hoje é tão amiga que fica até difícil apresentá-la. Para aqueles que me conhecem pessoalmente, sabem que onde uma vai a outra logo aparece, portanto a convidada dispensa apresentação. Para aqueles que não a conhecem, vou manter o texto curto e apenas apresentar o seu belíssimo blog, da Groselha, que é um poço de bom gosto e ótima fonte de inspiração.

Como eu já sabia qual era a cantora que não saia do repeat da Grá, resolvi adiar o convite para participar, mas vi que se fosse esperar a onda Feist passar, ela não sentaria no sofazão tão cedo. Dessa forma convidei assim mesmo, sabendo já qual seria a indicação, mas acabei sendo surpreendida.

"Sempre fui assim: quando gosto de alguma coisa, gosto muito, gosto mesmo e com música não poderia ser diferente. Raro acontecer de uma banda me ganhar, mas quando acontece, eu acabo sendo fiel por tempos a fio. Pra se ter uma idéia, por quase dois anos não ouvi nada além de Belle & Sebastian e lembro que o cd do Postal Service rodou no som do carro por quase cinco meses ininterruptamente. A Feist, desde aquele comercial da Lacoste, não saiu mais da minha vida; porém preferi escolher outro nome pra falar aqui, já que se ouve e se fala da Leslie por todo canto e a musa já tem inclusive data confirmada para aparecer no Brasil.

Josh Rouse
nasceu nos Estados Unidos, mas com o fim do seu casamento foi morar na Espanha. Escolheu uma cidadezinha minúscula chamada Puerto de Santa Maria e de lá lançou seu sétimo trabalho – ‘Subtítulo’ – com músicas delícia, sempre tranqüilas, reflexo claro da sua nova fase. ‘Quiet Town’ tem um pezinho no folk que eu não resisto.

Em terras espanholas, Rouse conheceu sua atual namorada e com ela gravou ‘She´s spanish, I´m american’, lançado em fevereiro desse ano. O ep é composto por 5 músicas doces e super leves, pop sem frescura, daquelas que soam como trilha de viagem e fazem as coisas em volta parecerem mais divertidas. As letras são fofas e bem-humoradas. Logo na primeira faixa, os dois cantam juntos e alegrinhos que não querem morrer em um acidente de carro. Nas outras faixas, eles se revezam nos vocais e mesmo não tendo lá uma voz espetacular, Paz Suay dá conta do recado nesse ep despretensioso.

No mês passado, saiu ‘country mouse city house’, oitavo trabalho solo de Rouse. A gente ainda tá só se conhecendo mas, pelo que escutei até aqui, acho que o relacionamento tem tudo pra ser duradouro."




Site oficial – http://www.joshrouse.com/
Myspace - http://www.myspace.com/joshrouse
Myspace - http://www.myspace.com/shesspanishimamerican

quinta-feira, 20 de setembro de 2007

Lista - melhores músicas de metal dos anos 80

Essa semana foi uma correria danada e não consegui postar nada do que eu queria. Então vou deixar para semana que vem.

Hoje é quinta-feira, dia de lista e vou postar aqui uma lista que eu o Geek like Me linkou hoje. Apesar de metal não ser o meu estilo favorito resolvi fazer uma homenagem a BH, a capital do metal, e todos os milhares de metaleiros que aqui residem.

Clique para ver os vídeos de todas a músicas.

10) Scorpions - Rock You Like a Hurricance

9) Metallica - One

8) Skid Row - Youth Gone Wild

7) Danzig - Mother

6) Accept - Balls to the Wall

5) Quiet Riot - Bang Your Head

4) Twisted Sister - I Wanna Rock

3) Guns N Roses - Welcome to the Jungle

2) ACDC - Hells Bells

1) Metallica - Master of Puppets

Tá bom, eu admito que até gosto de algumas da lista, tipo a posição número 7. =P

sexta-feira, 14 de setembro de 2007

Sofazão: João Rolla Perdigão

O meu convidado de hoje nasceu em São Domingos do Prata, sua família tem um alambique por aquelas bandas e por isso ele leva sua garrafinha de Pratiana para todo lado que vai. As festas na casa dele são lendárias, com direito a punk drink, torneio feminino de queda de braço e fotos assustadoras dos convidados.

Estou falando do meu amigo João Rolla Perdigão que senta hoje no sofazão do Blog Síncope. João escreve o ótimo blog Solta a Canhota e revela abaixo o que é que ele não para de escutar.


“Pelo fato de eu gostar bastante de coisas latinas, vim escrever sobre uma ótima banda pernambucana, o The River Raid. Na página deles do last.fm tem quase todas as músicas deles pra download. Ao contrário daquela turma do mangue que faz sons permeados de referências brasileiras, o River Raid busca uma sonoridade mais crua, digamos. E nem por isto fica faltando tempero. Por coincidência, eles começaram junto com Eddie, há dez anos atrás, mas só em maio deste ano, lançaram o disco homônimo, gravado em Recife, mixado e masterizado no Sterling Sound Studio, de Nova Iorque.

Com um tremendo vigor em executar canções distintas, tanto rápidas quanto lentas, em inglês e português, a banda, com nome do clássico jogo de aviãozinho do Atari flutua entre o rock clássico e aquilo que é classificado como indie. Eu tinha lido sobre eles há alguns meses em algum lugar do qual não me lembro mais, indicando a ótima faixa "Time Up", que não parei de escutar e foi ocupando lugar aqui na minha lista de canções prediletas. Fui dar uma conferida no tópico deles no lastfm e tinha quase tudo pra baixar. Me surpreendi com a variação rítmica dos caras, flertam até mesmo com o brega numa homenagem ao ícone escrotinho da jovem guarda em "O Rei". Bem, mesmo assim eu gostei e indico."


My Space do River Raid

quinta-feira, 13 de setembro de 2007

Tatoos are forever...

É impressionante como a humanidade continua cometendo os mesmo erros, não é mesmo, minha gente?

Todo mundo sabe que diamantes e tatuagens são para sempre, mas que as paixões vêm e vão. No caso dos famosos elas se vão em um piscar de olhos. Mesmo tendo consciência da incongruência que é tentar eternizar uma paixão na própria pele, mesmo vendo exemplos da burrice alheia toda semana na revista Caras e mesmo sabendo que um nome coberto com um tema floral é 100 vezes pior do que um beija-flor, muita gente continua insistindo no erro.

A celeb brasileira do rock, Lovefoxxx, e o seu loverboy, Simon dos Klaxons, são os últimos a cair no conto do “juntos para sempre” como vocês podem ver na foto abaixo.

klaxonlovefoxxx

quarta-feira, 12 de setembro de 2007

Vídeo de quarta: Amy Winehouse ao vivo

Adorei essa versão ao vivo da música "Back to Black", do álbum homônimo da Amy Winehouse. Essa apresentação aconteceu no começo do ano em um lugar chamado Bourbon Rocks. Por causa do cartaz ao fundo estou concluindo que o show fazia parte do incrível festival SXSW. Tem uma celebridade musical escondida na platéia. Quem achar ganha... um "parabéns".

terça-feira, 11 de setembro de 2007

Tim Festival 2007 - Abaixo-assinado online

A presença de Chan Marshall no Brasil tem sido esperada por seus fãs há muitos anos. Finalmente, depois de inúmeras idas e vindas, a artista, também chamada de Cat Power, vai se apresentar no Tim Festival desse ano, mas muitos fãs vão continuar apenas na expectativa.

O show da cantora em São Paulo vai acontecer no dia 25 de outubro, quinta-feira, no mesmo palco em que se apresentam Toni Platão e Antony and the Johnsons. Não sei qual é a capacidade da platéia do Auditório Ibirapuera, mas sei que os ingressos para esse palco esgotaram em apenas algumas horas.

Muitos fãs, decepcionados, estão fazendo um abaixo assinado online com esperança de que a organização do evento aumente a capacidade da platéia ou organize uma apresentação extra.

Quem está louco para ver a Chan em SP e não conseguiu ingresso, ou quem ficou sensibilizado com o sofrimento alheio, pode assinar a petição aqui.

Agora, eu devo dizer, que os paulistanos estão muito mal acostumados com toda a profusão de eventos que acontece na cidade. Não seria interessante viajar para ver a Cat Power nas outras cidades em que acontece o evento e ainda dar uma passeada? Eu particularmente adoro o Timfa no Rio de Janeiro, com palcos mais intimistas e toda a tradição que vem do antigo Free Jazz. Fora isso, já ouvi muitas reclamações sobre a qualidade dos shows, principalmente da qualidade do som, em São Paulo. Fica dada a dica para quem não conseguiu ingressos para o show.

Covers de terça: Arcade fire

Essa semana eu venho trazendo 2 covers de músicas dos canadenses do Arcade Fire. Um é mais antigo, feito pelos Foo Fighters, da música "Keep the Car Running". Essa música foi originalmente lançada no segundo disco da banda, Neon Bible.

O segundo cover é bem recente e surpreendente. A cantora Norah Jones, que eu adoro, fez uma versão folk da música "Ocean of Noise", também do Neon Bible, que ficou linda!

Escute abaixo as duas cópias. Para quem não conhece a versão do Arcade Fire, clique no link "ver original" ao lado dos títulos.

Foo Fighters - "Keep the Car Running" - ver original

powered by ODEO

foofighters arcadefire cover

Norah Jones - "Ocean of Noise" - ver original

powered by ODEO

norah jones
Você pode não acreditar, mas essa é a Norah Jones.

segunda-feira, 10 de setembro de 2007

Download: Midlake - The Trials of Van Occupanther

E o download de hoje é o disco que eu não paro de escutar há umas 2 semanas, como vocês podem ver ali na minha caixinha do last.fm. Estou falando do Midlake, banda texana de Denton, cujo som a gente pode descrever como Crosby, Stills, Nash and Young meets Radiohead. Ou seja, perfeição.

Abaixo está o vídeo da música "Head Home", que me fisgou e que eu espero que também fisgue você, leitor, que está com preguiça de baixar e escutar tudo.



Download de MP3: Midlake - The Trials of Van Occupanther


Capa do disco do Midlake

Site oficial do Midlake
MySpace do Midlake

quarta-feira, 5 de setembro de 2007

Vídeos de quarta: Daft Punk e Architecture in Helsinki

Esse vídeo do Daft Punk é incrível. Que pessoa mais coordenada!

Daft Punk - Harder, Better, Faster, Stronger


Esse outro já está rolando na rede há alguns meses, mas eu gosto tanto dele que eu não podia deixar de postar aqui. E fora que a música é ótima! Estou até gostando de Architecture in Helsinki agora.

Architecture in Helsinki - Heart it Races

terça-feira, 4 de setembro de 2007

Cover de terça

Dando uma passeada pelo Youtube outro dia, eu descobri essa apresentação ao vivo do Carl Barat junto com o Graham Coxon, ex-integrante do Blur que hoje faz carreira solo. Se trata de um cover do clássica punk "Borstal Breakout" do Sham 69.

O original:


E a cópia:

segunda-feira, 3 de setembro de 2007

Primeiro dia de vendas de ingresso do Tim 2007

Hoje foi o primeiro dia de vendas de ingressos para o Tim Festival desse ano. Aqui em Belo Horizonte tudo correu tranquilamente e sem filas. Estou feliz com meus ingressos, 4 ao todo, apesar do preço alto. Se o preço dos ingressos continuar aumentando nesta proporção, ano a ano, em pouco tempo vai dar pra gente ir pro Coachella no lugar do Tim.

Já em São Paulo, como sempre as coisas foram um pouco mais confusas. Uma amiga ficou 2h30 na fila e quando foi comprar seus ingressos, o show da Cat Power já estava esgotado. Agora a noite fiquei sabendo que o da Feist em São Paulo também já esgotou.

Bom, agora vou ficar na espectativa até o dia 26 de outubro para descobrir qual dos dois shows, Feist ou Cat Power, vai acontecer ao mesmo tempo que o dos Arctic Monkeys. =(

sexta-feira, 31 de agosto de 2007

Sofazão: Thiago Ocampo

Hoje no sofazão meu convidado é o santista Thiago Ocampo. Conheço o Thiago apenas virtualmente e não me lembro quem descobriu o blog do outro primeiro, mas acredito que a admiração foi mútua. O Thiago é um dos participantes do excelente Your Mother Should Blog (aliás, ótimo nome) e também do blog BritRock Post que eu acabei de conhecer. Além disso é moderador da lista BritRock Group, da qual pretendo participar imediatamente. Abaixo o convidado conta pra gente o que é que ele não consegue parar de escutar:

"Uma voz vem se firmando neste ano na cena britânica, com propriedade e personalidade, o que é mais importante. Alguns o tem como gênio, outros como apenas mais um excêntrico. Estamos falando de Gruff Rhys, o líder e vocalista da banda Super Furry Animals. Para quem conhece os caras, que já têm 10 anos de estrada, dizer que os Furries fazem música fabulosa e que Rhys é o mestre responsável por isso é chover no molhado. E quem não conhece, deveria conhecer. Sobretudo o novo trabalho desse quinteto galês de Cardiff, entitulado "Hey Venus!", o oitavo álbum de estúdio nesses 10 anos. O dedo criativo, bizarro e despretencioso de Rhys está lá, em cada uma das 12 faixas.

O álbum ainda não foi lançado oficialmente mas é óbvio que todo mundo já pode ouví-lo. E deve, pois supera o fracasso e a falta de interesse do antecessor "Love Kraft", de 2005. Aliás, a má impressão já pôde ser desfeita no início deste ano quando Rhys lançou seu segundo trabalho solo, o elogiadíssimo e aclamado "Candylion", que levou o músico a uma turnê grande para os propósitos do projeto. Até no longínquo Brasil o cara apareceu, num evento especial patrocinado. O Brasil na verdade já vem fazendo parte da carreira do grupo há algum tempo, seja nos profissionais que vieram a trabalhar com eles depois de sua primeira visita ao país, no Tim Festival de 2003, ou mesmo nas sonoridades implantadas por esses profissionais e aprovadas por completo pelos músicos.

O fato é que "Hey Venus!" trás de volta um Super Furry Animals dedicado às esquisitices sonoras e transformando tudo isso num caldeirão de samplers, riffs e vocais dedicados, numa música mais pop que Justins e U2s da vida. A banda vai de um extremo ao outro em minutos. Não há história pra contar, não há regras: sobra músicalidade. Já disse por aí que a faixa "Show Your Hands", primeiro single, é uma das canções mais perfeitas de 2007 até então. Seguida de perto por "Runaway", "Baby Ate My Eight Ball" e "Carbon Dating", onde Rhys e seus meninos mostram tamanha personalidade e maturidade que impressiona quem esperava outro pequeno fracasso, repleto de elementos desconexos e sem finalidade, sem identidade. Nada disso levará os Furries ao patamar pop alternativo de estádios lotados, coisa e tal. Mas os fãs da banda sem dúvida agradeceriam uma visitinha em breve."

quinta-feira, 30 de agosto de 2007

Tim Festival 2007 - venda de ingressos

Chegou a notícia que todo mundo esperava. Os ingressos do Tim 2007 vão começar a ser vendidos na próxima segunda, dia 3 de setembro.

Para mim, a melhor notícia é que o número de pontos de venda esse ano aumentou bastante e pela primeira vez são 2 em Belo Horizonte. Clique para conhecer todos os pontos de venda e os preço dos ingressos.

Será possível também comprar ingressos online e por telefone nos números (11) 6846 6000 (São Paulo) e 0300 789 6846 (demais localidades, é cobrada uma taxa).

Lista: Camisetas mais legais do Rock

A Rolling Stone fez uma lista das camisetas de banda que não podem ser jogadas fora, por mais velhas, furadas e desbotadas que estejam. Veja a lista completa.

Para quem quer ver mais, existe o livro The Art of the Band T-Shirt. Eu fiquei com vontade de comprar.

camisetas

quarta-feira, 29 de agosto de 2007

Cover de terça: Amy Winehouse canta Zutons

Eu troquei o dia do cover com o dia do vídeo essa semana. Aviso dado, podemos seguir.

“Valerie” é uma das músicas da Amy que eu mais gosto, quero dizer, dos Zutons. É que apesar de ser a cara da Amy, essa musica é originalmente da banda de Liverpool.

A musica é ótima nas duas versões. Escute a versão original:


E a cópia:

Show do Dirty Pretty Things em prisão

Os Dirty Pretty Things fizeram a Cash e se apresentaram em uma prisão na Inglaterra. A banda tocou "Bloody Thirsty Bastards", nova música "Come Closer" e o single "Deadwood" em versão acústica para o pessoal da Pentonville Prison, onde Pete Doherety já esteve preso. Depois tocaram durante 45 minutos na capela da prisão.

O show ajudou a promover a campanha Wated Youth que tem como objetivo diminuir o suicídio entre jovens ingleses. Segundo Carl Barat essa é a maior causa de mortes entre homens com menos de 25 anos.

Essa não é a primeira campanha beneficente de que o D.P.T. participa. Nos últimos tempo fizeram shows para a campanha inglesa Make Roads Safe. Adoro bandas que aproveitam o alcance que sua música tem para ajudar uma boa causa.

07828_102731_dptpentonvilleRS_01

terça-feira, 28 de agosto de 2007

Capas de disco

Hoje não tem nenhum vídeo que valha a pena postar aqui, então aproveito para indicar um blog super bacana.

É o Sleevage que posta e comenta as capas de disco mais legais da história do rock. É imperdível e vale colocar no del.icio.us.

capas de disco

segunda-feira, 27 de agosto de 2007

Download: disco novo da Roberta Sá

Roberta Sá

A Roberta Sá está lançando seu segundo disco, chamado Que belo estranho dia para se ter alegria. A Roberta tem uma voz incrível e interpreta canções deliciosas. Para aqueles que ainda não conhecem o som da moça, não deixem de escutar também o primeiro trabalho dela, Braseiro.

Download de MP3: Que belo estranho dia para se ter alegria - Roberta Sá

sexta-feira, 24 de agosto de 2007

Convidado de sexta: Sérgio Rosa

Mais uma sexta-feira e mais um convidado senta no sofazão. Não sei se é a água de Itabira, mas assim como seu famoso conterrâneo, Sérgio Rosa tem gosto pelas palavras. Tanto que quando eu o chamei para participar, fiz o pedido clássico: dizer qual é a música ou artista que não sai do repeat. Não imaginava que eu receberia uma verdadeiro tratado sobre música oriental contemporânea.

Sérgio é jornalista, trabalha no Palácio das artes em Belo Horizonte, participa do site colaborativo Overmundo, entende muito de música e escreve o blog Contrabandas. Leia abaixo suas dicas preciosas:

"Especiarias do oriente

É incrível notar que mesmo vivendo em uma nova fase da grandes navegações informacionais, muita coisa do "mundo japão" passa ao largo do nosso conhecimento. O universo dos desenhos animados japoneses (aka animes) é um exemplo claro. Apesar do crescimento recente do interesse da nossa mídia por eles, ainda não somos capazes de entender nem de longe a complexidade e amplitude cultural que eles possuem por aqueles lados de lá. Pois bem, bit torrent e soulseek a postos, ordenar velas rumo ao leste, ajustar coordenadas em direção às melhores recentes trilhas sonoras de desenhos japoneses (aka animes).

A primeira parada é na ilha do dj Nujabes, um dos responsáveis pela trilha sonora do anime estiloso Samurai Champloo. Se o nome Shinichiro Watanabe te diz alguma coisa, não preciso falar muito mais. Samurais, Okinawa e hip hop. Coordenadas de latitude e longitude.

Os ventos agora levam o seu search até o porto do anime que inunda torrents no mundo inteiro. Naruto é um fenômeno. É o nome mais conhecido pelos sete mares e a sua trilha sonora é igualmente capaz de revelar nomes interessantes da cena pop japonesa. IMHO, as duas melhores aberturas foram feitas pelo Asian Kung Fu Genaration com seu hardcore nipônico e pelo bizarro Nobody Knows. Tem umas coisas que com as minhas limitadas referências ocidentais eu não sei se levo a sério ou não...

Por falar em "hip hop" japonês para desenhos animados, é imperdível também a música Super Shooter, da abertura de Gantz, com os rappers japoneses do Rip Slyme. Talvez assim como a adaptação chicana para o gênero, os japas estejam criando um estilo único. Torna-se cada vez mais difícil determinar a posição dos astros quando as coisas se misturam dessa maneira.

As âncoras repousam em um dos meus desenhos favoritos: o clássico Lupin III. (Coincidentemente está passando um filme no Telecine – Arsène Lupin, com a Eva Green – que conta a história do personagem na qual a versão japonesa é baseada). Foram lançados há um tempo atrás vários remixes para comemorar os 30 anos de aniversário da série televisiva japonesa. Dentre eles, vale conferir o do sempre divertido Pizzicato Five."

quinta-feira, 23 de agosto de 2007

Meme: 5 livros que marcaram minha vida

Fui convidada pela Julia do Pop Candy a participar de um Meme que é listar os 5 livros que marcaram a minha vida. Por isso, a lista de hoje não tem nada a ver com música, mas com literatura.

Os 5 livros que marcaram a minha vida:


1- "O Apanhador no campo de centeio" - J.D. Salinger
Clichê... eu sei. Mas um clássico só se torna um clássico porque muita gente aprovou, não é? O Apanhador teve um papel muito importante na minha adolescência. É um livro daqueles que a gente começa a ler e não faz mais nada enquanto não termina.

2- "Macunaíma" - Mario de Andrade
Primeiro livro que me tirou do sério. Mesmo. Literatura fina sem deixar o bom humor de lado.

3- "Blecaute" - Marcelo Rubens Paiva
Esse foi um dos primeiros livros de gente grande que eu li, quando eu tinha uns 11 ou 12 anos. Conta a história de três amigos que ficam presos numa gruta e quando saem percebem que todo mundo está paralizado e que eles são os únicos sobreviventes de um evento misterioso. Contando assim parece meio idiota, mas a história me afetou de tal forma, que passei uns bons meses meio obsessiva pensando na minha vida inteira num mundo com apenas mais 2 outras pessoas.

4- "O mundo de Sofia" - Jostein Gaarder
Um livro muito esclarecedor para a mesma jovem de 11 ou 12 anos. Ótimo apanhado para quem não sabe absolutamente nada de filosofia. Cheguei na minha aula de filosofia do colégio alguns anos depois tirando onda.

5- "O Código da Vinci" - kkkkkkkk brincadeira. O número 5 foi difícil de escolher, quase coloquei "Brás Cubas" mas acabei decidindo por "Devagar" - Carl Honoré
O mais estranho da quinta posição é que eu nunca li esse livro por inteiro, mas a metade já foi suficiente para fazer um grande efeito no meu dia-a-dia. Literariamente a gente desconsidera, mas o tema é encantador. O autor fala de como o culto à velocidade e à eficiência foi crescendo no mundo até chegar a níveis doentios que matam muita gente por aí. Lendo o livro a gente pára pra pensar até que ponto vale a pena toda essa correria. A partir daí mudei algumas atitudes que me levaram a ter mais de qualidade de vida mesmo inserida em um mundo tão exigente e stressante.

Agora vou convidar mais 5 pessoas para dar continuidade ao Meme. Chamo a Gra do Da Groselha, a Luiza do Favoritos, a Luciana do Planta Baixa, o Daniel do De Risco e a Mariana e Rachel da vila_rica. Como a própria Julia disse no seu post fiquem a vontade para aceitar ou declinar o convite, e se qualquer outra pessoa quiser participar é só colocar o contato nos comentários.

quarta-feira, 22 de agosto de 2007

Vídeo de quarta: Spoon - Don't you evah

Eu amo Spoon! É difícil demais achar uma música ruim feita pelo Spoon. Essa "Don't you evah" não é exceção. Assista ao vídeo super bonitinho:



Site oficial do Spoon
MySpace do Spoon

terça-feira, 21 de agosto de 2007

Tim Festival 2007 - programação

Saiu a programação completa e oficial do Timfa 2007. Copio abaixo a do Rio de Janeiro que é onde vou assistir aos shows. Para a programação de São Paulo, Vitória e Curitiba, veja a página no G1.


RIO DE JANEIRO – Marina da Glória

26 de outubro (sexta-feira)


Jazz US (20h)
• Joe Lovano Nonet
• Joey DeFrancesco Trio e convidado especial Bobby Hutcherson
• Cecil Taylor
• Conrad Herwig’s Latin Side Band

TIM Volta (20h)
• Antony and The Johnsons
• Björk

Novas Divas (22h30)
• Katia B
• Cibelle
• Feist
• Cat Power and Dirty Delta Blues

Novo Rock UK (23h30)
• Hot Chip
• Arctic Monkeys

Novo Rock BR (1h)
• Vanguart
• Montage
• Del Rey

27 de outubro (sábado)

Euro Jazz (20h)
• Eldar
• Roberta Gambarini Quartet
• Sylvain Luc Quartet
• Stepano Di Battista Quartet

Novo Rock US (20h)
• Juliette and The Licks
• The Killers

TIM Cool (22h30)
• Projeto Axial
• ‘Winona’ featuring Craig Armstrong and Scott Fraser
• cirKus com Neneh Cherry

TIM Festa / TIM na Pista (1h)
• Alexandre Herchcovitch e Johnny Luxo
• MOO
• Guab

TIM Festa / TIM Disco House (1h)
• Lindstrøm
• Toktok

TIM Festa / Funk Mundial (1h)
• MC Gringo
• Daniel Haaksman
• DJ Sandrinho
• Count of Monte Cristal (Hervé) & Sinden
• Diplo
• DJ Marlboro

TIM Festa / TIM Mash Up (1h)
• Spank Rock
• Girl Talk

Cover de terça: Teardrop do Massive Attack

Ontem tive problemas para fazer o upload do disco de segunda, mas prometo que nos próximos dias eu faço o post.

Hoje eu indico o cover de uma das minhas músicas preferidas, "Teardrop" do Massive Attack.

Li em algum lugar outro dia que o Jose Gonzalez (que adora fazer covers de músicas moderninhas em versão acústica) havia feito um cover dessa música e saí procurando. Achei o vídeo e, durante a busca, achei também uma versão feita pelo Incubus. Escute todas elas abaixo:

Massive Attack:


Jose Gonzalez:


Incubus:

sexta-feira, 17 de agosto de 2007

Convidado de sexta: Cristiano Simões

O meu ilustre convidado desta sexta-feira é o Cristiano Simões. Cristiano abandonou BH há mais de 1 ano e se mudou para Natal onde faz mestrado em neurociência. Já deu pra sentir o peso do convidado, né? Além disso, ele é um dos colaboradores do blog Armazém de Música Potencial de que eu falei aqui ontem. Quando ele vem a BH a conversa de boteco sempre vai pro lado da música e muitas boas dicas aparecem. É por isso que chamei o Cristiano para "refestelar-se no sofazão", segundo suas próprias palavras, e revelar pro blog Síncope o que é que não sai do repeat.

Não sei bem como cheguei ao Romulo Fróes, mas quando cheguei fiquei. Apesar da cara de sobrinho do Tim Maia, ele faz música brasileira como quem não deve nada a ninguém. E isso é tão difícil. O Tom Zé já fala há muito tempo que todo compositor brasileiro é um complexado, com essa mania danada de parecer tão sério. Hoje em dia a mania é de juntar "muderno" com tradicional, numa forçação de barra tediosa e desconjuntada. Romulo Fróes é dos poucos que conseguem fazer isso sem afetação, sem premeditação. Parece que ele senta toca e sai aquilo ali, criando uma linha sucessória da MPB e do samba muito mais natural que a pose de Zeca Baleiro e cia. Ano passado ele lançou o álbum "Cão", em que vigoram, lado a lado, seu estilo elegante de compositor (na linha de Elton Medeiros e Ismael Silva) e de intérprete ousado, que tem realmente o que acrescentar aos clássicos da música brasileira. A bola da vez foi "Mulher sem alma", do Nelson Cavaquinho. Aliás, foi um outro cover que me conquistou de cara. Na verdade, um medley de "Fita amarela" (Noel) com "Na cadência do samba" (Ataulfo Alves). É simples, contundente e bonito. Quase dá pra encostar no som.


Links:
MySpace
Sobre a gente - YouTube
Suíte - YouTube

quinta-feira, 16 de agosto de 2007

Lista

A lista de hoje não foi feita por mim, mas pelo site Spinner. Trata-se das 20 separações de banda mais amargas da história. Ela não foi ordenada por nenhum critério, então vai assim, sem numeração.


Smashing Pumpkins
The Doors
The Supremes
Rage Against The Machine
Talking Heads
The Clash
Pink Floyd
Blondie
The Beatles
The Pogues
The Velvet Underground
Sex Pistols
The Kinks
Dead Kennedys
The Mamas & The Papas
Husker Du
Boston
N.W.A.
The Eagles
Pixies

Para saber a história por trás de cada uma dessas separações, veja a lista da Spinner.

Para aqueles que adoram uma listinha, o blog Armazém de Música Potencial é parada obrigatória. Lá tem um monte de listas no formato clássico mas tem também desafios para os especialistas. Os autores postam listas com o tema escondido para o leitor descobrir qual é a cola que une todos aqueles ítens. É diversão garantida.

Vídeo atrasado: Shins "Turn on Me"

Ontem foi feriado em BH e eu passei o dia beeeeem longe do computador, por isso não postei o vídeo de quarta. Mas ele era tão bom e a música é tão boa que eu não podia deixar de postar hoje.

Os Shins fizeram um álbum bem simpático esse ano, e essa "Turn on Me" é uma das minhas preferidas. O vídeo dela, assim como o do single anterior, "Australia" é uma simpatia. Olha só:



Volta aí mais tarde para ver a lista de quinta, ok?

terça-feira, 14 de agosto de 2007

Cover: M. Ward toca Let's Dance do Bowie

Como a minha lista do last.fm denuncia, eu ando escutando muito M. Ward ultimamente.

No seu disco de 2003, Transfiguration of Vincent, ele fez uma versão da música "Let's Dance" do Bowie. A versão ficou tão diferente da original que eu quase não reconheci. Acho que estou gostando mais da cópia.

O original:


E a cópia:


Site oficial do M. Ward

segunda-feira, 13 de agosto de 2007

Download: Cat Power - The Greatest

Cat Power

Download de MP3: Cat Power - The Greatest

Hoje não vai dar tempo de escrever o Cat Power for Dummies, então coloco o link para a página da wiki dela que resolve.

Site oficial
mySpace

sexta-feira, 10 de agosto de 2007

O Estadão surtou!

Eu não gosto de falar aqui de outros assuntos que não sejam ligados a música, mas quando alguma coisa desse tipo acontece, eu não posso ficar calada.

A nova campanha do Estadão mostra blogueiros como "fracassados, não qualificados e esquisitos", nas palavras de Luiza Voll. Além de tudo, os anúncios mostraram uma postura preconceituosa e passam a idéia de que só gente com a cara e o corpo do Beckham pode falar sobre um assunto com propriedade. Eu e muita gente por aí acha que o jornal vacilou na escolha do conceito para a campanha. Generalizaram, o que não costuma ser bom, e mostraram a faceta retrograda do jornal.

Gente, já passou da hora de mudar essa postura, né? Esse povo ainda não entendeu que a Internet não é o inimigo? Que o diálogo que Internet possibilita é uma ferramenta de ouro que não deve ser desperdiçada?

Jornais modernos, assim como tvs e rádios modernas, não são contra a Internet e seus agentes. Eles estão procurando (e encontrando) formas de se adaptar tirando proveito de todos os benefícios que a web proporciona. E são esses que vão se dar bem no fim das contas. Os outros vão ter que correr atrás do prejuízo depois.

Para ver a campanha completa, visite o Brainstorm#9.

Campanha Estadão

Convidado de sexta: Braulio Lorentz

Hoje quem se joga no sofazão é o meu colega Braulio Lorentz. Ele é um dos fundadores e editores de música do site Pílula Pop, portanto está sempre atualizado e de ouvido em pé para os novos talentos do pop no mundo todo. Abaixo ele nos conta o que é que não sai do repeat:

Dizem que Kate Nash, pianista-cantora inglesinha de 20 anos, é a nova Lily Allen. Como se Lily não fosse nova o bastante. O primeiro CD de Nash ("Made of Bricks") foi lançado nesta semana. "Foundations", primeiro single, é uma tetéia. "Grace Kelly", hit do afetadinho Mika, estava tranquilão no topo do meu last.fm até que apareceu essa gema. Foi amor à primeira vista entre "Foundations" e a tecla repeat do meu tocador de mp3. E tudo isso sem ter que apelar pra uma dezena de "Ella-ella ê ês", que também são ótimos, embora mais enjoativos. Rihanna, mal aê, o verão da Europa e dos EUA é todo seu, mas minha parada pessoal já tem dona.


Site oficial da Kate Nash
MySpace da Kate Nash

Aí, senti uma onda meio Regina Spektor nessa "We get on".

quinta-feira, 9 de agosto de 2007

Lista de quinta

Para a lista dessa quinta-feira eu escolhi um tópico inspirado nas participações femininas no Tim Festival 2007. Fiz uma lista das melhores cantoras da atualidade, portanto só vale gente viva. Para a escolha, tive em mente a qualidade vocal, a interpretação, o carisma, e é claro, as músicas.

1- Fiona Apple
2- Amy Winehouse
3- Cat Power
4- Regina Spektor
5- PJ Harvey

Muitas outras se destacam, mas as que moram no meu coração são essas aí. Alguém tem outras sugestões?

quarta-feira, 8 de agosto de 2007

Evento: Dead Lover's Twisted Heart

Quem está em Belo Horizonte já tem o que fazer nessa quarta a noite. A banda Dead Lover's Twisted Heart, que eu já disse que curto muito, vai se apresentar hoje no Teatro Marília (Av. Alfredo Balena, 586, Santa Efigênia) às 8h30.

O show faz parte do projeto Quarta Sônica que promove a inserção de bandas independentes de rock no cenário musical, sendo um espaço de diálogo e discussão da renovação musical mineira.

A entrada é gratuita e a distribuição dos ingressos acontece a partir das 19h.
(info: 3277-6319)