domingo, 12 de novembro de 2006

A year and a day

Ontem o Síncope fez 1 ano, soprou velinha, comeu bolo e tomou guaraná. A festinha teve até animador, uns velhinhos muito simpáticos que têm uma banda chamada New Order.

Então, sobre o show do New Order. Até ontem a tarde eu não sabia se ia ou não assisti-los, mesmo tão pertinho, aqui em BH, tendo em vista o alto nível indígena do programa. Para quem não sabe do que eu falo, explico que a apresentação fazia parte de um evento chamado Pop Rock, que rola no Mineirão, lotado por cerca de 70 mil adolescentes que curtem CPM22 e Pitty, num dia de chuva e mais frio que qualquer um do inverno deste ano.

Promovido pela 98 FM é sem dúvida o evento musical mais bem sucedido da cidade. Era minha primeira vez no PopRock e fiquei absurdada com o tamanho da coisa. Eu cheguei exatamente no meio do show anterior ao New Order, que era O Rappa. O estádio estava lotado para ver Falcão Fanho balançar seus dreads e tentar decodificar seus versos inteligíveis.

Além de bem sucedido, o evento é bastante lucrativo, principalmente quando não se paga cachê aos músicos, com exceção dos internacionais. Hum... sinto o cheirinho de jabá no ar.

Pelo menos não são só eles que são espertos. Fui comprar meu ingresso de um cambista (agora já estou superando meus traumas com cambistas) para arquibancada. Sim, estou ficando velha e já não animo de ver show debaixo de chuva, tampouco em meio a adolescentes loucos fãs de Tianastáscia. Pedi dois ingressos, mas o colega me deu três e não se tratava de uma promoção leve 3 e pague 2. Acabei vendo New Order por R$13,3333...