sexta-feira, 11 de novembro de 2005

Hey Ho


Então vamos começar.

É preciso muita coragem para fazer um blog. Principalmente um blog sobre música, um tema que mundo acha que conhece a fundo e que toca no gosto pessoal de cada um.

Conheço donos de blogs famosos que me contaram coisas assustadoras da vida de quem tem blog. Por exemplo, certo dia você dá de cara com um amigo de infancia, você fica muito feliz em vê-lo depois de tanto tempo, mas ele fecha a cara e vem te dizer o quanto ficou chateado com o seu comentário preconceituoso sobre "uma seita bizarra" da qual ele faz parte e você nao sabia. É preciso pensar bem antes de afirmar qualquer coisa sobre qualquer assunto.

Tem também o compromisso de escrever freqüentemente, que as vezes se torna um pé no saco. Todo mundo sabe que tem dias que nao sai nada legal por maior que seja o esforço. E aí vem a culpa de quando se quebra um compromisso.

Além disso, todo mundo vai reparar quando você trocar uns Ss por Cs escrevendo nessa linguinha ingrata na qual ansioso é com S e atencioso é com C. Qualquer erro cometido, ou pensamento indigesto será atestado e comprovado pelo documento que é um post assinado por voce. Uma pessoa com a auto-crítica além da conta, é um sofredor potencial quado cria um blog.

Bom, então porque diabos eu resolvi fazer um blog sobre música? Andei percebendo o quanto tenho ficado inflamada em discussões musicais nos últimos tempos, principalmente quanto algum ser-vindo-do-planeta-dos-desafinados vem falar que os Beatles não prestam. Por isso resolvi tornar públicas as minha opiniões sobre os movimentos musicais, em especial o Rock. Fico imaginando que talvez dessa forma as pessoas levem mais a sério do que numa mesa de bar o único tema sobre o qual sei balbuciar algumas opiniões.

Mas o motivo principal não é esse. A verdade é que eu sou completamente viciada nessa coisinha entorpecente chamada música. Ela entrou na minha vida no dia em que assisti A noviça rebelde pela primeira vez aos 3 anos de idade, no dia que ouvi Papa don´t Preach aos 4 , e no dia que minha mãe me colocou pra cantar na coroação de Nossa Senhora aos 5.

Ela ficou de vez no dia em que cheguei ao Nirvana aos 12, fiquei de luto quando o Kurt morreu e resolvi aprender guitarra pra ter uma banda tão boa e admirada quanto a dele. Obviamente essa banda nunca existiu, caso contrário você ja teria ouvido falar dela, e eu me tornei uma guitarrista frustrada. E o que músicos frustrasdos fazem? Viram críticos musicais. Ou, no máximo têm um blog onde vivem a fantasia de que são críticos músicais.

Então pessoal, aqui começa o meu blog sobre Rock 'n Roll e tudo que vem junto com ele, com uma homenagem à noviça gente-boa no dia em que ela ensinou as 7 notas musicais para mim e meus amigos da família Von Trapp.